Leituras Favoritas de 2018 (até agora)

Friday, July 20, 2018


Passada a primeira metade do ano, é agora altura de reflectir sobre as nossas leituras. Com o auxílio do maravilhoso Goodreads, consegui reduzir as minhas 30 leituras deste ano a um top daquelas que considero serem as melhores.

Alguns destes livros têm opinião aqui no blog, por isso basta clicar no título para as lerem!
Comecemos...

    

A Mulher Entre Nós de Greer Hendricks & Sarah Pekkanen
Restore Me de Tahereh Mafi
O Homem de Giz de C.J. Tudor
As Raparigas Esquecidas de Sara Blædel


    

Lies de T.M. Logan
The Kind Worth Killing de Peter Swanson
The House at Saltwater Point de Colleen Coble
Sharp Objects de Gillian Flynn
The Snowman de Jo Nesbø


 

Por último, mas talvez mais importante, não podia deixar de mencionar um dos meus novos autores predilectos - Mário Zambujal. Tenho lido um livro por mês desde que o descobri com O Diário Oculto de Nora Rute, com excepção de Junho (um fiasco em termos de leituras!). O último que li foi Talismã, que já tem também opinião aqui no blog. Neste momento, estou a ler mais um dos seus títulos - Cafuné que, segundo o que o autor me disse na Feira do Livro, é um dos livros que mais gosto lhe deu a escrever.


Como dá para perceber, estamos a meio do ano e já tenho imensos favoritos. Nem quero pensar no sofrimento que vai ser escolher os melhores livros do ano quando 2019 se aproximar...

Quais foram os melhores livros que leram até agora, em 2018?

Boas leituras,
Até à próxima! ♡

Livros que Vão de Férias Comigo | Julho '18

Sunday, July 8, 2018


Estou, neste momento, a caminho do Alentejo, onde ficarei durante uns dias. Por isso, decidi escrever um post dedicado às férias, no qual vos digo quais os livros que escolhi para me acompanharem no sossego do campo.

Já há vídeo no canal também sobre isto, que deixarei mais abaixo. No entanto, acabei por trazer mais dois livros que não vos mostrei no vídeo - decisão de última hora, vocês sabem como é!

LIVROS FÍSICOS


    

Since You've Been Gone de Morgan Matson
The Statistical Probability of Love at First Sight de Jennifer E. Smith
The Woman in Cabin 10 de Ruth Ware


    

A Bargain in Silver de Josie Jaffrey
Hollywood de Keegan Allen
The Snowman de Jo Nesbø

EBOOKS


Trouxe o iPad comigo, por isso tenho todos os meus ebooks. Não os vou ler todos, obviamente, mas estive a escolher os que gostaria de ler. Eis as minhas escolhas:

      

The Fourth Monkey de J.D. Barker
And Then There Were Crows de Alcy Leyva
Vengeance Road de Erin Bowman
Smothered de Autumn Chiklis




Espero conseguir ler, pelo menos, três livros durante estes dias. Isto de estar 14 livros atrasada no desafio do Goodreads anda a moer-me o juízo, portanto vou fazer de tudo para conseguir recuperar.

E vocês, costumam levar livros quando vão de férias? Já leram algum destes? Digam-me tudo nos comentários!

Até ao próximo post ♡

Desafios de Leitura | Verão '18

Thursday, June 28, 2018


Já mencionei no canal alguns desafios a que me juntei, mas penso que nunca vos falei sobre eles aqui, por isso decidi trazer-vos um update de Verão do meu progresso. De momento, estou a participar em três desafios, sem contar com o do Goodreads (que consiste apenas em estabelecer uma meta de livros que vamos ler durante o ano; a minha é 75). Passemos então aos challenges...

PopSugar Reading Challenge


Este é um desafio anual, organizado pela PopSugar (uma espécie de revista feminina online). O desafio consiste em ler 40 livros de categorias diferentes, que vão mudando a cada ano. Existem ainda 10 categorias extra, um desafio mais avançado, para os mais corajosos. Eu escolhi fazer apenas o desafio geral - e já me vai dar pano p'ra mangas!

Podem ver aqui os livros que escolhi para cada categoria - spoiler: não li nenhum, pelo menos não integralmente. No entanto, li outros livros que se encaixam nas categorias, portanto é só substituir hehehe #batota

Beat the Blacklist


Este é, mais uma vez, um desafio que decorre durante todo o ano. Foi criado pelo blog Novel Knight. Consiste em ler livros que estão na nossa blacklist, isto é, livros que estão na nossa estante há algum tempo. Para este desafio, contam todos os livros que tenham sido publicados antes de 2018, e apenas os livros lidos durante este ano, claro.

Eu tinha estabelecido uma meta de 25 livros e, por incrível que pareça, já li 13, por isso estou muito orgulhosa. É o único desafio geral de 2018 que está a correr bem...

Book Bingo: Leituras ao Sol II


Este, tal como o nome indica, é um desafio de Verão. Foi criado pelas minhas queridas Patricia e Isa, duas bloggers e booktubers portuguesas. A ideia deste desafio é, com base no cartão, fazer uma linha em qualquer direcção, ou então completar o cartão todo, fazendo bingo.


Tal como no ano passado, adoro as categorias, por isso não podia deixar de me juntar. No desafio anterior, não consegui fazer bingo, mas este ano estou determinada. Só há uma categoria que me está a complicar a vida, porque eu praticamente não tenho interesse em nenhum livro que saiu no meu ano de nascimento. Talvez ainda encontre um que seja do meu agrado, vamos ver!

E são estes os desafios literários a que me juntei. Conheciam algum deles? Quais são os desafios em que estão a participar? Digam-me nos comentários!

Até à próxima ♡

Ao Preço da Chuva | Desgracei-me Outra Vez...

Tuesday, June 26, 2018


Hoje estava a passear pelo Fórum Sintra quando, como que recebendo um sinal divino, decidi passar pela Note, sabendo que fazem descontos em livros de tempos a tempos.
Qual não é o meu espanto quando vejo todo um estaminé montado no meio do corredor - uma série de expositores de livros cheios, tudo com descontos entre 30-50%.

Como podem imaginar, não resisti e fui lá espreitar o que tinham. A selecção de livros é vastíssima e muito variada, portanto nem três horas tinham chegado para eu ver tudo com atenção. E, com muita pena minha, só lá estive uns 20 minutos - mas renderam!! Ainda convenci uma rapariga que lá estava a comprar o livro que tinha na mão - As Raparigas Esquecidas que, como sabem, adorei!

isto é apenas uma parte do stand!!

Penso que estas promoções sejam alargadas a todas as lojas da Note e, talvez, também às lojas Continente. Se entretanto descobrir que também há promoções no Continente, actualizo-vos 😉

Desta vez não consegui tomar nota de preços e títulos em específico, por isso vou apenas debitar aquilo que memorizei enquanto me aventurava pelas estantes. Aqui ficam os autores que encontrei...

os autores assinalados com ♡ são favoritos

Alguns dos autores nas estantes 

  • J.K. Rowling e Robert Galbraith ♡
  • António Lobo Antunes
  • Lídia Jorge
  • Jo Nesbø
  • Ian McEwan ♡
  • Camilla Läckberg
  • M. J. Arlidge
  • Sara Blædel ♡ (opinião aqui)
  • Mário Zambujal ♡ (opinião aqui e aqui)
  • Valter Hugo Mãe
  • Kristin Hannah
  • Mário Soares
  • Patricia Müller
  • Karin Slaughter
  • José Luís Peixoto
  • Lars Kepler ♡ (opinião aqui)
  • Joanne Harris
  • Dan Brown
  • Daniel Silva

Os livros que eu trouxe

  • Romão e Juliana de Mário Zambujal - 7,50€
  • A Casa de Bonecas de M. J. Arlidge (#3 numa série) - 8,84€
  • O Trilho da Morte de Sara Blædel (#2 numa trilogia; #8 numa série) - 10,61€

Bem, é tudo para este curto post de auxílio à carteira alheia. Espero que vos seja útil e que consigam poupar umas coroas 😄
Até à próxima e boas compras! ♡

Ensina-me a Voar Sobre os Telhados | João Tordo

Monday, June 25, 2018


Título: Ensina-me a Voar Sobre os Telhados
Autor: João Tordo
Editora: Companhia das Letras
Ano de publicação: 2018
Páginas: 487
Género: Romance

Onde comprar (portes grátis): Wook

A História


Em Ensina-me a Voar Sobre os Telhados, existem duas linhas narrativas principais. A primeira, com início em 1917, conta-nos a história de Katsuro, um jovem japonês que, após cometer um erro, é severamente castigado e exilado pelo seu pai, que é o governador. Aquando do seu exílio, acaba por descobrir um segredo que foi passado de geração em geração na sua família. A segunda, já cem anos depois, segue um funcionário do Liceu Camões que, após o suicídio de um professor, dá início a reuniões acabam por funcionar quase como consultas de psicologia - inicialmente, apenas entre o staff do liceu, mas depois também alargadas a pessoas estranhas ao serviço. Numa dessas reuniões, aparece um desconhecido, Henrique, um homem japonês que fascina o nosso narrador pela sua atitude e comportamento fora do vulgar. Durante a leitura, vai sendo desvendado o passado destes dois personagens, bem como a história de Katsuro, desenrolada um século antes.

Opinião


É verdade, finalmente terminei esta leitura!! Quem segue o canal, sabe que estou há meses a ler este livro, mas acabei por pausar para ler em conjunto com a Dora. Devo começar por dizer que estou um pouco desiludida. Apesar de ter gostado, pensei que ia gostar mais - esperava algo diferente, mas não sei bem o quê...

"Conhecia bem aquele momento: o instante mágico em que a dor se ausenta de nós por um instante, se esconde numa trincheira, e o campo de guerra se ilumina de qualquer coisa que não é paz, mas é menos do que luta; que não é a felicidade, mas é menos do que tortura. As cinzas depois do fogo; o restolho a seguir à colheita." (34)

Não é fácil descrever ou escrever sobre Ensina-me a Voar Sobre os Telhados, por isso deixo-vos com alguns prós e contras (a meu ver) desta leitura, um por cada estrela:

Prós

  1. Adorei a escrita do autor, lê-se bem e rapidamente. Eu sou comichosa com a ausência de travessões ou aspas nos diálogos, e o autor não faz uso desse tipo de pontuação, mas não tornou a leitura menos fluida. Existem inúmeras frases belíssimas, daquelas que alguém tatuaria. 
  2. O humor, muitas vezes negro, fez-me soltar algumas gargalhadas. Tenho bastantes marcações de saídas engraçadas dos personagens.
  3. O tom do livro. É, sem sombra de dúvida, o livro mais triste e com o tom mais grave e melancólico que li até hoje. E, surpreendentemente, eu gostei disso. Foi uma lufada de 'ar fresco', deu para fugir ao que leio normalmente - também é preciso de vez em quando, não é?

"Durante o período em que trabalhei na livraria, apaixonei-me por livros. Descobri que, quando lia, nos tempos mortos, (...) não pensava em mim e nos meus infortúnios." (107)

A história fica numa espécie de limbo, e corresponde à meia-estrela dos prós. Isto porque, apesar de ser uma história interessante, um conceito que eu apreciei, achei-a muito estranha. Penso que o meu maior problema foi a filosofia e o realismo mágico, que são omnipresentes. A religião também tem um papel assertivo na história, mas esse tema não me incomoda. Aliás, uma das minhas partes favoritas da história foi a mitologia japonesa que o autor incorporou na história. Cada vez que era utilizado um termo em japonês que eu não conhecesse, lá ia eu pesquisar. Acabei por aprender alguma coisa sobre criaturas da mitologia japonesa que, já agora, é fascinante.

"Deus não deve ser grande coisa ou, se for parecido comigo, é feio como a noite dos trovões." (172)

Contras 

  1. O livro é extraordinariamente longo, e não acontece assim tanta coisa. Até comentei com um amigo que o livro parecia infinito. Eu lia, lia, lia e parecia que nunca mais chegava ao fim! A leitura é bastante rápida porque a escrita do autor flui muito bem, mas a sensação que tive foi a de estar a ler devagar. São menos de 500 páginas, mas parecia que pouco avançava quando lia - esta sensação foi, provavelmente, acentuada pelo tal tom melancólico de que vos falava.

"E foi depois de uma noite em que, varrido por uma violenta insónia, enquanto assistia ao lento desfile da madrugada pela janela da sala, encostei o rosto à janela, o frio do vidro aquietando-me por um momento, fechei os olhos e perguntei a deus que merda era aquela, que monstro ia emergir agora das águas, que Tritão zangado ascendia do fundo dos mares." (27)

Também no limbo, mas já na área dos contras, fica o final da história. Não vos vou contar, estejam descansados, mas digo-vos já que achei o fim bittersweet. É um final em aberto, que eu abomino. No entanto, até foi um bom remate para a história. Mas eu quero saber o que acontece!! Que frustração...

Em jeito de conclusão, eu acabei por gostar da leitura, e até li as últimas 300 páginas num ápice, mas senti que havia alguma coisa que me fazia não conectar com a história. O facto de a leitura ter ficado um pouco aquém das minhas expectativas não me fez, de todo, não querer explorar mais a obra do autor. Aliás, planeio ler o seu livro As Três Vidas brevemente. Tenho quase a certeza de que vou gostar mais - espero estar certa!

 
3.5 em 5 estrelas

This Does Not Leave This House | Julie Coons

Friday, June 22, 2018


Título: This Does Not Leave This House
Autor: Julie Coons
Editora: publicado pela autora
Ano de publicação: 2018
Páginas: 178
Género: Não-Ficção

Onde comprar (portes grátis): BookDepository

Este livro foi-me gentilmente cedido pela autora, com o intuito de eu escrever uma opinião para o blog. Penso que, até à data, foi o primeiro livro de não-ficção que li na íntegra, não só pelo seu tamanho reduzido, como pelo facto de a sinopse me ter deixado muito intrigada. Como irão perceber, esta leitura marcou-me muito. 

Opinião


Esta é uma leitura difícil que irá ferir susceptibilidades, já que retrata a atribulada vida da autora. Julie sofreu, desde criança, abusos de todos os tipos, embora maioritariamente psicológicos durante a infância. Conta-nos que a sua mãe, além de ser o diabo em pessoa, tem distúrbios mentais, e sempre lhe fez a vida num inferno. Quando eu digo que é o diabo em pessoa, não estou a exagerar. Imaginem que engravidam, acidentalmente, sem estarem casadas e que a vossa mãe, em vez de vos apoiar e respeitar a vossa decisão de cuidar do bebé, faz o seguinte: marca uma consulta, e vocês pensam que será a primeira consulta de rotina, mas quando lá chegam o médico diz "não fazemos abortos nesta clínica, tem de se dirigir à clínica de x cidade". Pois, a mãe de Julie tentou enganá-la e fazer com que lhe fizessem um aborto sem que ela se apercebesse. Se isto não é ser diabólica, não sei o que será...

"So often I felt so completely alone during so many struggles in my life. I was raised by an abusive, narcissistic mother. I was raped in college by a stranger. I married an abusive man that threatened to kill me if I ever tried to leave. His abuse nearly killed me anyway. My mother tried to trick me into having an abortion."

Durante alguns anos, frequentou um colégio Católico mas, sendo esquerdina, foi maltratada e humilhada. Mais tarde, na faculdade, foi violada por um estranho e decidiu abandonar o curso de Medicina. Acabou por se casar com um homem que a abusava, tanto fisica como emocionalmente.

Julie conta-nos toda a sua história para explicar como conseguiu romper não só um, mas dois ciclos de abuso - o ciclo que se originou na sua família, e o que surge com o seu casamento.

I saved every penny for college because I knew my father was going to help my brother and not me. He felt it was more important for his son to go to college because his daughter could “just get married”, as he told me. I wasn’t raised to feel very strong as a woman. (…) After all this happened and I came out the survivor, I realized: I am powerful, not despite, but because, of my gender.

Este livro devia ser lido por toda a gente, quer o leitor seja homem, mulher, adulto ou adolescente. É um testemunho importantíssimo e inspirador. Julie é um exemplo de uma mulher de força que prova que, sejam quais forem as circunstâncias, vale a pena lutar por algo melhor - e é possível alcançar a felicidade após tanto sofrimento. A leitura da sua história terá, com certeza, impacto em quem a ler e poderá, quem sabe, ajudar alguém que esteja numa situação semelhante, ou até prevenir uma situação no futuro.

A autora fala ainda das suas experiências com a religião e espiritualidade. Conta-nos que teve uma out-of-body experience quando era adolescente e estava prestes a morrer numa cama de hospital. Num momento estava na cama com dores agonizantes, e no outro estava, sem dores, no canto do quarto a ver os médicos a tratá-la freneticamente, a tentar salvá-la. Julie pensa que, a partir desta experiência, passou a ver espíritos claramente - vê-os tão bem como a uma pessoa, mas estes têm transparência. Fala também sobre os espíritos que ouve ou vê na sua casa ou em público.
Eu achei fascinante este relato porque eu não tenho uma opinião definida em relação ao assunto, mas aprecio sempre tomar conhecimento de situações que as pessoas descrevem.

I hope nobody else knows what this feels like. If you have experienced anything like my experiences, I stand with you. You are not alone. You are not the rape. You are not the abuse. You are not the illness. No matter what it is, you are not that thing you carry around. You are a special person with a sensitive soul who deserves to be acknowledged. You are never alone. I stand with you.

Em suma, eu recomendo muito este livro, penso que será útil para todos os leitores, de uma forma ou de outra. Enquanto mulher, não tenho palavras para vos descrever quão importante é a história da Julie. Com muita pena minha, não está traduzido para Português, mas eu não considero que a escrita da autora seja difícil para quem não tiver um nível avançado de inglês, portanto talvez não seja má ideia espreitarem um excerto aqui.

★★★★☆ 4/5 estrelas

Reorganizar as Estantes & Desabafo

Thursday, June 21, 2018

Olá a todos! Hoje trago-vos uma novidade muito empolgante (para mim, pelo menos) - decidi, finalmente, criar um canal literário em inglês!! Era algo que queria fazer há algum tempo, mas tinha receio e vergonha, portanto demorei bastante a tomar a decisão.

Como sabem, tenho um blog principal em inglês, no qual falo sobre as minhas leituras. A minha ideia é que este novo canal seja um complemento ao blog, onde publicarei conteúdo que é melhor em vídeo do que em formato escrito - por exemplo: resumos do mês e book hauls. Por enquanto, vou publicando vídeos aos poucos (talvez semanalmente) mas quem sabe?, talvez um dia o canal novo se torne a minha plataforma principal!

O primeiro vídeo do canal foi uma espécie de introdução, mas desta vez trago-vos um dos vídeos que eu mais gosto de ver - reorganização das estantes! ♡

Deixo-vos aqui um esquema de como ficaram organizadas as prateleiras ⇣


VÍDEO

Eu gosto muito de, de vez em quando, tirar os livros todos da estante, limpar tudo e mudar a disposição dos livros. É terapêutico, tanto para quem faz, como para quem assiste.

Aqui fica então o vídeo, espero que gostem!  


UPDATE

Queria também trazer-vos um update do que se tem passado nos bastidores aqui do blog. Bem, para começar já acabaram os testes e estou (em princípio) livre até Setembro!! 🎉 Tive umas semanas muito stressantes enquanto estudava para os testes, e acabei por não ler tanto como gostaria de ter lido.

Quem viu o meu vídeo de TBR para Junho sabe que eu me passei da cabeça e disse que queria ler doze livros este mês. Bem, estamos a dia 21 e ainda só li dois, portanto lá se foi a minha TBR, não é? Infelizmente, tal como eu receava, quando acabaram os testes eu estava tão exausta que não me apetecia ler. E ainda não tenho assim muita vontade de pegar em livros, para vos ser sincera.
Tenho passado os dias a gravar e a escrever posts - portanto, a produzir conteúdo para vocês - mas as leituras têm sido poucas.

Espero que isto melhore, porque eu estava super entusiasmada e pensei que me ia fartar de ler assim que acabassem os testes, mas afinal isso não está a acontecer :(

Bem, por hoje é tudo, já chega de tristeza :D
Até à próxima ♡

Lies | T.M. Logan

Wednesday, June 13, 2018


Título: Lies
Autor: T.M. Logan
Editora: St. Martin's Press
Ano de publicação: 2018
Páginas: 432
Género: Mistério; Thriller (doméstico/psicológico)

Onde comprar (portes grátis): Wook e BookDepository

Ultimamente, só me apetece ler thrillers e policiais. É um género que, apesar de ter começado a explorar apenas há uns meses, já está no topo como um dos favoritos. O que mais me agrada é como eu fico agarrada ao livro e esqueço tudo em meu redor porque, naquele momento, a única coisa que interessa é saber o que aconteceu ou vai acontecer. E foi exactamente isso que aconteceu com Lies.

A História


Em Lies, seguimos Joe, um professor de inglês que é casado com Melissa, com quem tem um filho, William, de quatro anos. Num dia normal, quando Joe está preso no trânsito no regresso a casa, William vê o carro de Melissa perto deles. Começa a dizer ao pai que Mel está ali e pede para fazer uma surpresa à mamã. Joe acaba por ceder, por isso começa a seguir a sua mulher.
Ela entra no parque de estacionamento subterrâneo de um hotel e eles estacionam também, e depois seguem-na dentro do hotel, aguardando o momento certo para a surpreender. Quando Joe chega perto de Mel, repara que está com um homem a falar com ela, bastante exaltado e a agarrar-lhe o braço. Recua, e põe-se em frente ao filho, para que este não consiga ver.

A partir desta cena a que Joe assiste, tudo começa a descambar na sua vida.

Opinião


Um pouco de background: eu vi este livro algures na internet e a capa chamou-me muito, assim como a tagline 'E se toda a tua vida se baseasse em mentiras?'. Calhou ser um livro publicado pela St. Martin's Press, uma editora com quem trabalho há anos, por isso enviaram-me um exemplar de avanço digital. Na verdade, este livro já saiu no ano passado, mas sairá uma edição desta editora em Setembro deste ano. Eu estava bastante interessada, e cheguei a incluir o livro em duas TBRs no canal, mas nunca pensei gostar tanto do livro!

Devo começar por dizer que eu não ficava tão agarrada a um livro há algum tempo. Eu comecei este livro na segunda-feira e li quase metade à noite, até não conseguir manter os olhos abertos. Ontem, terça-feira, peguei nele assim que acordei e não queria fazer mais nada até o acabar. Só parei a leitura e saí de casa porque a minha mãe me subornou com comida :D E quando voltei, enfiei-me na cama até o acabar. Quero com isto dizer que é uma leitura viciante, que nos agarra logo nos primeiros capítulos.

Quando comecei a ler, não sabia nada sobre a história, nem sequer me lembrava da sinopse. Ao longo da leitura, fiquei muito surpreendida com o rumo que a história estava a tomar, nunca pensei que a história se desenvolvesse desta forma. Essa foi uma das coisas que mais apreciei na leitura, fui surpreendida o tempo todo! Só fui reler a sinopse quando terminei o livro, e percebi que mesmo que a tivesse lido antes de começar, não me dizia grande coisa sobre a história - o que é óptimo! Cada vez mais tenho reparado que as sinopses, especialmente dos thrillers, dizem demasiado e podem até conter spoilers.

Gostei muito do facto de ser um thriller doméstico mas, por uma vez, não ser da perspectiva de uma mulher - que normalmente gosta de se enfrascar. Desta vez é o homem que é muito caseiro e gosta de passar tempo com o filho, e é da perspectiva dele que a história se vai desenrolar. Achei uma leitura refrescante (pelo menos para mim foi).

O enredo deste livro é qualquer coisa, eu nunca tinha lido nada deste género e ADOREI a história. Como o título indica, toda a história se baseia em mentiras e segredos, por isso o leitor está sempre a descobrir coisas e sempre com aquela sensação de que vai acontecer alguma coisa, sempre na expectativa. E o plot twist? Genial! Fez-me lembrar o A Mulher Entre Nós porque nessa leitura também não esperava sequer que houvesse um plot twist, portanto quando houve eu fiquei K.O.

A escrita do autor flui muito bem, é fácil ler umas 100 páginas de uma vez sem se dar por isso. Quem me conhece sabe que eu gosto de livros assim, que se lêem rápida e compulsivamente.

Este é um livro relativamente grande, mas não se desenvolve lentamente. É grande porque acontece tanta coisa, e são reveladas tantos segredos e mentiras que acabam por fazer desta história um mini-calhamaço. Eu mencionei no Goodreads que esta leitura me estava a stressar. Vocês não fazem ideia da ansiedade que este livro me causou - chegou ao ponto de eu ter de fazer pausas para respirar e ver se me acalmava. Eu entrei mesmo na história :P

Bem, já me alonguei imenso nesta opinião... Concluindo, esta é uma leitura com um enredo muito bem construído, baseado numa rede de mentiras e segredos que manipulam a vida do personagem principal (e a do leitor, que não consegue ser produtivo até terminar o livro).

Recomendo mesmo muito, e espero que as editoras nacionais traduzam este livro, acho que os leitores portugueses iriam adorar lê-lo!

★★★★★ 5/5 estrelas

Dia de Portugal | 10 Autores para Ler em 2018

Sunday, June 10, 2018


Em comemoração do nosso feriado mais patriota, trago-vos o meu Top 10 de autores portugueses cuja obra tenciono conhecer ainda este ano. Uma das minhas metas para este ano é ler mais literatura portuguesa, e tenho conseguido cumpri-lo, mas quero explorar ainda mais!

Como já sabem, tenho lido e adorado os livros de Mário Zambujal, por isso não incluí o autor nesta lista - apenas autores que ainda não conheço!

Aqui fica o vídeo:


Quais são os autores portugueses que gostavam de ler? Conhecem algum dos autores no meu Top 10?

Espero que gostem! Bom feriado e até à próxima ♡

Leituras de Maio

Friday, June 8, 2018

Apesar de ter passado metade do meu tempo a estudar ou em aulas, consegui ler 6 livros durante o mês de Maio, por isso estou muito orgulhosa!

Aqui fica o vídeo de resumo das leituras:

Livros lidos: 6
Páginas lidas: 1688
Leitura preferida do mês: As Raparigas Esquecidas de Sara Blædel ♡

LIVROS LIDOS

- A Court of Frost and Starlight de Sarah J. Maas ·  (opinião aqui)
- O Homem que Escrevia Azulejos de Álvaro Laborinho Lúcio · ☆ (opinião aqui)
- As Raparigas Esquecidas de Sara Blædel ·  (opinião aqui)
- Smith de Sam B. Miller II · 
- And I Darken de Kiersten White · ☆.5 
- Talismã de Mário Zambujal · ☆.5 (opinião aqui)

E vocês, o que andaram a ler em Maio?

Até ao próximo post! 

Talismã | Mário Zambujal

Friday, June 1, 2018


Título: Talismã
Autor: Mário Zambujal
Editora: Clube do Autor
Ano de publicação: 2015
Páginas: 151

Onde comprar (portes grátis): Wook

Como já devem saber, Mário Zambujal é o meu novo autor preferido. Como tal, tenho comprado e lido tudo o que consigo - o que, infelizmente, não é muito por causa da faculdade. Este é o segundo livro que leio do autor no espaço de um mês, e a minha vontade é nunca mais parar até ler tudo o que publicou. 

A História


Em Talismã, seguimos o Pablo que, numa noite de Santos Populares, tem um 'encontro' amoroso com uma rapariga desconhecida que perdeu um sapato na multidão. Eles beijam-se e, logo de seguida, aparece um homem que diz à rapariga, Diana, que os seus pais andam à sua procura, preocupados. Ela vai-se embora com o tal homem, e Pablo não tem o discernimento de lhe pedir o número. Assim, decide voltar a encontrar Diana, e faz disso uma prioridade na sua vida.

Nada tenho contra os santos populares, pelo contrário, admiro-os por serem santos e populares ao mesmo tempo. Estranho é que os haja impopulares, apenas solicitados em alguma particular aflição (p. 10) 

Entretanto, a sua vida dá uma enorme volta quando perde o emprego e, num golpe de sorte (ou não), arranja outro. A partir daqui, vemos as peripécias que surgem enquanto Pablo procura a sua Diana e se envolve em trabalhos de alto risco, acabando por ficar no centro de uma guerra pela conquista de um talismã.

Opinião


Apesar de não me ter tocado tanto como O Diário Oculto de Nora Rute, adorei a leitura deste livro. Cada vez aprecio mais a escrita do autor e a sua ironia. É impressionante como, tendo 60 anos a menos que o escritor, me consigo identificar com a sua forma de pensar e, especialmente, com o seu humor.

Pressinto que vou ganhar dinheiro grado, pensarei em carro novo, mas será uma dor de alma despedir-me do companheiro de tantos anos. Quem nunca aceitou meter-se nele foi a Gracinha Rute. Que horror, não ponho o rabo nesse chaço - dizia. Contradições: o armazém dos nossos festins era mais de cadente e muito acelerávamos, sem travões. Nas curvas mais apertadas era ela a conduzir. (p. 49)

O autor faz uma espécie de reflexão/crítica à crença das pessoas em talismãs e amuletos, bem como à religião. Como podem perceber pelo título, um dos pontos mais importantes do livro é, precisamente, um talismã que, supostamente, protege quem o tiver em sua posse de qualquer perigo. No entanto, tal como a crença religiosa, muitas vezes a posse de objectos como estes leva as pessoas a cometer actos radicais - por vezes, até matam!

Garante-me Aniceto que está quase curado, só resiste uma pontinha de febre.
- Esquisito, meu caro, é não ter o amuleto evitado a gripe - provoco-o.
Sei que não ficarei sem resposta, vem logo:
- Se não fosse o amuleto isto dava em pneumonia. (p. 78)

Existe também alguma crítica à sociedade actual, que se baseia na tecnologia e redes sociais - algo que presumo ser surreal para o autor. Existe até um casal que, levado ao extremo por Zambujal, não se fala de todo, sem ser por SMS ou e-mail (ou, como ele escreve, imeil). As suas interacções eram, simultaneamente, hilariantes e tristes, já que não duvido que existam casais assim fora da literatura.

- [N]ão se preocupe comigo. De certo modo estou com a Vivi, ainda agora recebi uma mensagem que posso ler: "Flávi, doçura, desculpa, esta manhã não mandei os bons-dias, esqueci o telemóvel no quarto e passei a manhã no computador. À noite não te esqueças de ler o sms de boas-noites." Não é uma ternura?
- Lindo.
- Exacto, sinto-me em casa. (pp. 114-115)

Talismã é uma leitura muito curta, com apenas cerca de 150 páginas, mas cheia de peripécias, humor, crítica social e ironia. Tem também ordinarice q.b. Lê-se numa tarde, e garanto que vale a pena.

Um firme viciado na leitura não se aguenta sem ela. (p. 117)

★★★★☆ 4.5/5 estrelas

Sunshine Blogger Award

Wednesday, May 30, 2018


O post de hoje é um pouco diferente. Fui nomeada pelo blog O Segredo da Esmeralda para o Sunshine Blogger Award, por isso vejo responder a algumas perguntas que a Helena me colocou!
Muito obrigada pela nomeação, Esmeralda! Vejam aqui o post dela.

REGRAS


🌸 Agradecer à Blogger que te nomeou.
🌸 Responder às 11 perguntas que te foram dadas.
🌸 Nomear 11 bloggers e fazer-lhes 11 perguntas.
🌸 Colocar as regras e incluir o logótipo do prémio no post.

PERGUNTAS


1. És blogger a full time? Se não, gostavas de ser?
Não sou, mas adorava ser! Como devem saber, gosto tanto disto que até tenho dois blogs :D

2. Qual é a categoria do teu blog? Porquê essa categoria?
Inicialmente era mais de lifestyle, mas ultimamente tenho estado muito focada na literatura. Na verdade, não sei bem categorizar o blog...

3. Escolhe uma música que defina o teu mood no momento que estás a escrever isto.
State Lines - Novo Amor (é a que estou a ouvir neste momento hehehe)

4. Se pudesses escolher um sítio para ir, qualquer um, qual escolherias? E porquê?
Provavelmente ia a Roma - uma escolha 100% influenciada pelo teste de Latim que fiz ontem :P

5. Qual é o teu lema de vida, a frase que define as tuas escolhas?
De momento, não me vem nada à ideia... acho que não tenho nenhum lema?? As minhas escolhas são baseadas na minha inconsistência e nas minhas infinitas mudanças de ideias, para ser sincera

6. Qual a tua área de formação? Porque escolheste? Trabalhas nessa área agora ou ainda estudas?
Eu sou de Letras, estou a acabar o curso em Línguas, Literaturas e Culturas. Escolhi porque é (ou era) a área que mais tem que ver comigo. Ainda estou a estudar, como já disse, e ainda falta o mestrado, portanto não devo trabalhar na área tão cedo!

7. Se pudesses escolher um profissão, para o resto da vida, qual escolhias?
Isto é dificílimo, e muda constantemente. Neste momento, o que mais me apetecia era trabalhar numa editora, na área da comunicação e marketing. Isso ou ser blogger e youtuber a tempo inteiro.

8. Se pudesses escolher um sítio para viver, para o resto da vida, qual escolhias?
Lisboa. Não troco a minha cidade por nada, só se tiver mesmo, mesmo de ser ♡

9. Neste momento, há alguma coisa que querias ouvir? Uma frase, uma palavra...
Gostava que alguém me pudesse garantir que vou terminar a licenciatura sem qualquer precalço e ter o Verão livre para fazer tudo o que me apetecer!

10. Qual é a coisa, o momento, ou a palavra(s) que te fazem instantaneamente feliz?
Os vídeos da Melina e o blog da Kathleen ♡

11. Qual foi o momento/lugar em que te sentiste mais feliz? E porquê?
A minha cama, porque é onde eu leio (quase) sempre

EU NOMEIO...

AS MINHAS PERGUNTAS PARA OS NOMEADOS

  1. Qual é o teu lugar preferido no mundo?
  2. Há quanto tempo és blogger?
  3. Um filme que te emocionou
  4. Qual é a tua bebida preferida?
  5. O teu maior medo
  6. Costumas ler?
  7. Artista preferido
  8. Qual o livro que mais te marcou, e porquê?
  9. Quando eras criança, o que querias ser 'quando fosses grande'?
  10. Estação do ano preferida
  11. Um conselho para novos bloggers
Bem, é tudo para o post de hoje. Mais uma vez, muito obrigada à Helena pela nomeação!
Se tiverem curiosidade, passem no meu blog em inglês, que também foi nomeado - podem ver o post aqui!

Até à próxima ♡

As Raparigas Esquecidas | Sara Blædel

Sunday, May 27, 2018


TítuloAs Raparigas Esquecidas
Autor: Sara Blædel
Editora: Topseller
Ano de publicação: 2016
Páginas: 301

Onde comprar (portes grátis): Wook & BookDepository

Há uns meses li o livro mais recente da autora - A Mulher Desaparecida. Vi-o na FNAC, gostei da sinopse e decidi trazê-lo. Como adorei a leitura, acabei por comprar outro livro da autora (e até vos mostrei num book haul).

Para minha surpresa, ainda gostei mais deste livro! O livro captivou-me muito, logo desde o prólogo. Por falar nisso, a autora começa o livro forma bombástica, é impossível não ficarmos logo agarrados à leitura. Então, o que acontece no prólogo? Bem, temos a perspectiva de uma mulher que está a correr pela floresta, a fugir de um tal 'Desaparecido'. Está ferida e, quando estava prestes a abrandar, "o chão cedeu, de súbito, sob os seus pés". A leitura deste prólogo é deveras stressante, até sustive a respiração - e olhem que só tem página e meia.

A partir daqui, seguimos a inspectora Louise Rick, a quem foi entregue a investigação do caso. Passaram-se quatro dias e ainda não tem qualquer tipo de pista que lhe permita descobrir o que aconteceu à mulher que foi encontrada morta na floresta, e muito menos que lhe diga quem era essa mulher. Por isso, decide publicar uma foto da mulher, na esperança de que alguém a reconheça - nem que seja pelas queimaduras muito visíveis que tinha na cara. Há apenas uma pessoa que contacta o Departamento de Pessoas Desaparecidas - Agnete, que afirma ter conhecido a mulher quando trabalhava em Eliselund, uma instituição para doentes mentais. Agnete é uma personagem e testemunha de extrema importância, como podem imaginar.

O enredo é muito bom, extremamente bem pensado e, mais importante, bem executado. Tenho a dizer-vos que a minha edição tem 299 páginas, e só por volta da página 240 é que eu comecei a ter desconfianças sobre como seria resolvido o caso - e nem sequer estava certa! Se há coisa que eu adoro, são livros imprevisíveis, e este é mais um para juntar à lista.

Esta é uma história que desenterra muitos pesadelos do passado, carregada de emoções e revelações chocantes. Passa também pelos horrores que se cometiam em instituições deste género, asilos onde se encafuavam as pessoas problemáticas, doentes ou, simplesmente, diferentes. O próprio título acaba por reflectir precisamente isso - as crianças eram esquecidas.
Isto não é ficção. Ontem, na Feira do Livro, Sara Blædel contou aos leitores que costumava passear de cavalo pela floresta perto da sua casa, onde existia uma instituição destas. As crianças dessa instituição conviviam com a restante população, que carinhosamente os intitulava de 'tolinhos' ou 'maluquinhos'. Segundo a autora, dizia-se aos pais das crianças com deficiência que as deixassem a cargo das instituições e que as esquecessem. Do género, 'vão à vossa vidinha que nós tratamos deles', mas depois sofriam horrores nos asilos.

A escrita da autora é simples e directa, não há muitos floreados. Também não anda ali a enrolar, como faz a dupla Lars Kepler, por exemplo. Acho que é assim que um policial deve ser escrito - directo, sem tirar o foco ao caso que está a ser resolvido. É por isso que os livros da autora têm metade do tamanho dos de Lars Kepler!

Sendo um policial, é óbvio que o foco deve estar sempre no caso, mas a autora incorpora alguns detalhes que, embora em pequena quantidade e de pouca relevância, enriquecem a narrativa. Algo como as preocupações que Louise tem enquanto mãe, ou o desconforto que paira quando se reencontra um ex-namorado, acabam por nos aproximar da personagem principal sem nos distrair da investigação. Esse é, sem dúvida, um ponto forte da autora, tal como os seus enredos.

Ainda que os livros da autora tratem assuntos importantes e sérios, existem bastantes momentos de humor que nos fazem soltar uma gargalhada. Isso é algo que aprecio muito em livros - como já devem ter percebido, considerando que menciono sempre o humor nas minhas opiniões :D

É verdade que estou a ler os livros fora de ordem - e a editora também os tem publicado fora de ordem -, mas não me fez diferença nenhuma. Aliás, até foi giro ler anacronicamente, especialmente a parte da vida amorosa de Louise Rick. Foi quase como se a personagem estivesse a ter um flashback. Essa é a parte boa das séries policiais, normalmente não é necessário ler pela ordem correcta - ainda que seja aconselhável fazê-lo, claro.

Desta vez não vos trago citações - devorei o livro tão rápido que quase nem fiz marcações durante a leitura, sorry!

★★★★ 5/5 estrelas

O Homem que Escrevia Azulejos | Álvaro Laborinho Lúcio

Monday, May 14, 2018


TítuloO Homem que Escrevia Azulejos
Autor: Álvaro Laborinho Lúcio
Editora: Quetzal
Ano de publicação: 2016
Páginas: 238

Onde comprar: Wook

Confesso que não sei bem o que vos dizer acerca desta leitura, mas talvez deva começar por vos contar um pouco sobre a história.

O Homem que Escrevia Azulejos tem como personagens principais três homens e uma mulher. Norberto e Marcel são amigos de infância - cresceram juntos e são inseparáveis até na idade adulta. A maior parte do seu convívio dá-se num bar. João Francisco é um violinista e professor de música, e Otília é a sua neta. Os caminhos destes personagens acabam por se cruzar, culminando numa situação trágica. 

Um dos personagens, Norberto, diz-nos no prólogo que sempre gostou de azulejos, e que estes sempre foram omniscientes durante a sua vida. No entanto, não sabe pintar ou desenhar. Como tal, decide escrevê-los, contando a sua história através da poesia, e não da pintura. Isto fez-me lembrar de uns azulejos que vi em Alfama, por isso deixo aqui uma fotografia que tirei dos mesmos!



Temos as perspectivas não só destes quatro personagens, mas também de alguns dos personagens secundários, o que enriquece a narrativa. Só houve um pequeno problema: o autor troca de perspectiva de um parágrafo para o outro, e vocês só se apercebem quando estão a meio de uma frase e há ali qualquer coisa que não faz sentido. Isso tornou a leitura confusa, e obrigou-me a voltar atrás para perceber quem estava agora a narrar. Não é o fim do mundo, mas não é propriamente agradável ter de retroceder para reler passagens capítulo sim, capítulo não.

Houve um episódio em específico, o reencontro entre dois personagens muitos anos depois da última vez em que se viram, que me tocou bastante. Na altura até mencionei no Goodreads que me estavam a tocar em pontos fracos porque, realmente, é uma situação que me costuma fazer chorar - especialmente em filmes!

"Se eu não tivesse barriga, os dedos amarelos, os dentes velhos, tinha ido falar-te, dizer-te que já não digo palavrões. Tinha-te prometido. Muitas vezes. Eu sei. (...) Ficavas triste sempre que eu mandava foder o reaccionário do teu tio. Não por ser teu tio, mas pelo 'foder'. (...) Eu ficava lixado, chamava-te burguesa, e não reparava que a tua tristeza se transformava em mágoa, depois em distância e, por fim, em renúncia e desistência. Voltaste-te agora. Estás mesmo de frente para mim. Só uma estante nos separa, mas tu não podes ver-me." (pp. 37-38)

Quanto à escrita do autor, não tenho nada a apontar. Gostei bastante, achei que tinha a dose certa de simplicidade e escrita directa, e de escrita mais floreada. Há passagens muito bonitas que me ficaram na memória, por exemplo a descrição do quarto de um dos personagens ou do que alguém vê na rua a partir de uma janela.

"O dia acordara como ele. Viçoso, alegre, cheio de sol. No largo, defronte, as pessoas passavam, umas subiam, outras desciam, algumas paravam em breves encontros, todas numa coreografia espontânea, em consagração da Primavera que chegava." (p. 62)

Tenho de mencionar algo que me fez comichão. Há aqui uma dinâmica muito estranha entre dois personagens. Trata-se de um tabu, uma coisa proibida que eu achei um bocado desnecessária. Aliás, todos os personagens deste livro não perdiam nada em procurar ajuda médica, porque todos eles têm problemas do foro psicológico. Mas não pensem que isso é algo que me fez deixar de gostar do livro - se há coisa que me atrai em livros são fucked up characters! Só aquela parte que mencionei é que achei um pouco tosca, mas adiante...

Temos também alguns momentos de humor - por vezes negro - que me fizeram soltar uma gargalhada ou outra, algo que eu aprecio sempre. Sou uma pessoa que adora rir, mesmo que não seja suposto rir daquele assunto.

"Foi num desses momentos que entreguei ao Valdemar a minha virgindade. Não correu mal. É certo que não senti borboletas na barriga. Não vi estrelas a luzir. E não gritei, o que foi bom. Não imaginava que um burocrata podia ser tão despachado." (p. 88)

Este é um livro que envolve política, nomeadamente ideias políticas do séc. XX, algo que tende a fazer-me distanciar das histórias. Felizmente, não é demasiado proeminente ou relevante para o enredo, por isso consegui ignorar e focar-me apenas nos personagens.

"A cama escondia-se sob as estantes repletas de livros, que enchiam também, numa prateleira móvel, todo o chão entre as pés e a cabeceira." (p. 58)

Ultimamente, tenho de admitir que este não é um livro para mim. Reconheço-lhe o valor intelectual e literário, mas eu sinto que não compreendi a obra, e isso deixa-me frustrada. Consegui gostar dos personagens, e até criar alguma empatia por eles. Consegui seguir e sentir uma parte do enredo, mas não percebi qual era o propósito da existência/presença de alguns dos personagens. Enfim, sinto-me uma ignorante porque parece que não atingi qualquer coisa que era suposto atingir.

Não vou dar-lhe uma pontuação mediana, e muito menos uma pontuação baixa, pois é um livro que merece avaliações altas. O autor é um homem culto, letrado, e isso é visível na história. A narrativa e o enredo são complexos e prendem o leitor. Só tenho pena de sentir que a minha leitura da obra está um pouco incompleta.

★★★★☆ 4/5 estrelas

Eurovisão 2018 | It's Over!

Sunday, May 13, 2018


Bem, com muita tristeza minha, chegou ao fim a nossa Eurovisão, com a vitória da canção de Israel.
Apesar de não concordar com os resultados, foi-nos proporcionado um magnífico serão. A RTP está de parabéns! Como já tinha mencionado num post anterior, adorei o percurso que fizemos pelo nosso país (tanto continental, como insular) com os concorrentes - é importante darmos ênfase aos concorrentes e aos seus países, mas também aproveitar o facto de sermos, pela primeira vez, os anfitriões, para dar a conhecer ao mundo o nosso cantinho à beira-mar. Podem ver este percurso através dos '360º Postcards' que foram publicados no canal da Eurovisão.

Desta vez, além desse percurso tivemos também actuações maravilhosas de artistas Portugueses e Lusófonos - todos com performances excepcionais. Não tenho uma única queixa, nada a apontar. Foi mesmo espectacular, uma noite memorável!

É preciso dizer alguma coisa em relação a esta actuação? O nosso Salvador voltou em grande ♡

Fiquei muito triste quando chegámos ao final da votação e a nossa belíssima canção estava em último lugar. Vocês viram a nossa actuação? Merecia tudo menos o último lugar na tabela... Eu não tinha muita esperança na vitória, já que seria muito difícil ganharmos dois anos seguidos, mas nunca esperei que tivéssemos um resultado tão baixo.
No entanto, como disse, e muito bem, o Triptofano, o verdadeiro vencedor da Eurovisão 2018 foi Portugal. Leiam o texto, faço minhas as palavras dele!

Bem, passemos às minhas actuações preferidas da noite. Aqui ficam os meus favoritos, sem qualquer ordem de preferência:

IRLANDA



ITÁLIA



BULGÁRIA



AUSTRÁLIA



DINAMARCA



ALEMANHA



PORTUGAL



ESTÓNIA



ÁUSTRIA



LITUÂNIA



ESPANHA



Ora, uma coisa é certa: não se podem queixar de falta de diversidade!! Tivemos actuações para todos os gostos, algo que eu apreciei, sem dúvida.

Aproveito também para partilhar convosco esta pérola que, a meu ver, é a definição de 'espírito Eurovisivo' - maravilhoso!


E são estes os comentários que tenho a fazer em relação à final. O que é que vocês acharam? Votaram em Israel? Digam-me tudo nos comentários!

Até à próxima! ♡

Ao Preço da Chuva | Livros em Promoção

Saturday, May 12, 2018

Ora, hoje inauguro uma nova rubrica aqui no blog - posts esporádicos sobre livros que estão em promoção, a bons preços. Já tinha feito dois posts dedicados a este tema (1 & 2), mas não faziam ainda parte de uma 'série', como agora.

Espero muito que gostem e, especialmente, que a rubrica vos seja útil!


Bem, como sempre, começamos pelos famosos 50% do Continente sobre mesas inteiras de livros. Ontem passei no Vasco da Gama e, felizmente, estavam lá três mesas com bastantes títulos que me interessavam. Trouxe apenas um - já vos digo qual!

Aqui fica uma lista de alguns dos títulos em promoção:

  • DUFF - A Amiga Feia e Gorda de Kody Keplinger · 7,95€
  • After de Anna Todd (1º livro da série) · 10,95€
  • O Excêntrico Mortdecai de Kyril Bonfiglioli · 7,95€
  • Irmãs de Claire Douglas · 8,95€
  • Jogo Sujo de Dick Lehr e Gerard O'Neill · 9,75€
  • In Sexus Veritas de Pedro Chagas Freitas · 16,50€
  • A Selecção de Kiera Cass · 8,45€
  • A Felicidade é um Chá Contigo de Mamen Sánchez · 8,75€
  • A História de Ellie de W. Bruce Cameron · 5,95€
  • Prometo Perder de Pedro Chagas Freitas · 8,75€
  • O Amor da Tua Vida de Cecelia Ahern · 8,45€
  • A Cidade nos Confins do Céu de Elif Shafak · 11,45€
  • A Ilha de Entrada de Peter May · 10,95€
  • Maestra de L.S. Hilton · 9,45€
  • A Filha Desaparecida de Jane Shemilt · 8,95€ ← foi este o livro que trouxe!
  • Os Pilares da Terra (vol. I) de Ken Follett · 11,45€
  • A Última Noite em Tremore Beach de Mikel Santiago · 8,95€
  • Nós de David Nicholls · 9,95€
  • Se Estivesses Aqui de Francesco Gungui · 8,45€
  • O Ano do Sim de Shonda Rhimes · 8,75€
  • O Oceano no Fim do Caminho de Neil Gaiman · 6,95€
  • No Coração do Mar de Nathaniel Philbrick · 8,95€
  • O Bicho-da-Seda de Robert Galbraith (J.K. Rowling) · 11,45€
  • A Ameaça de Ken Follett · 10,10€
  • Deixa o Amor Entrar de Cecelia Ahern · 9,45€
  • Coisas que nos Diz o Coração de Jessi Kirby · 6,95€
  • Livro de Monstros Fantásticos (livro para colorir) · 8,64€

Entretanto passei no Continente do Oeiras Parque e reparei que os livros da série Joona Linna estão com 30% de desconto! Se tiverem curiosidade em relação à série, vejam aqui a minha opinião do primeiro livro (O Hipnotista).



WOOK


Há uns dias disse-vos, na página do Facebook, que vai sair em breve a tradução de um dos meus livros preferidos do ano - The Wife Between Us de Greer Hendricks e Sarah Pekkanen. Li-o em Janeiro, quando saiu nos EUA, e falei sobre ele em vários vídeos, incluindo o especial do Dia Mundial do Livro:


Hoje reparei que a Wook está a fazer uma promoção óptima: se comprarem o A Mulher Entre Nós, vem outro thriller de oferta - Pura Coincidência de Renee Knight.
Podem achar que não é grande coisa, mas reparem que ambos os livros rondam os 18-19€, por isso acho que compensa bastante! Se estiverem interessados, fica aqui o link.


BERTRAND


A Bertrand tem exactamente a mesma promoção - mas sem os 10% directos da Wook. Se comprarem na Bertrand, os 10% ficam em cartão. No entanto, como pode haver quem tenha saldo para gastar no cartão Bertrand, decidi incluir também a promoção deles. Podem ver a promoção aqui.


FNAC



Esta promoção é que me deixou fora de mim... então não é que eu vou ao site da Fnac e reparo que um dos Livros da Semana é O Luto de Elias Gro de João Tordo!? Se conhecem minimamente a Fnac, sabem que isso significa que está a metade do preço... vocês têm noção da raridade!? Não me lembro de alguma vez ter visto os livros de João Tordo com mais de 20%, portanto 50% é de aproveitar.

Como já devem saber, comecei a ler o último lançamento do autor há umas semanas. Apesar de estar a demorar muito tempo a terminá-lo, estou a gostar da história e da escrita. O meu problema é falta de tempo para ler um livro com aquele peso. Durante os semestres preciso de leituras um pouco mais leves, portanto só o devo terminar quando estiver, oficialmente, de férias!

Bem, voltando à promoção: de todas as pessoas que conheço que já leram João Tordo, não me lembro de nenhuma que não considere O Luto de Elias Gro uma leitura fantástica. Por esta razão, nem pensei duas vezes quando o vi a 7,95€, e comprei-o imediatamente. Na terça-feira já cá canta!! :P

E chegámos ao fim do primeiro post desta nova rubrica totalmente dedicada ao bem-estar das nossas carteiras - elas bem precisam que alguém olhe por elas!

Gostaram deste post? Querem ver mais? Digam-me nos comentários abaixo!

Até à próxima! ♡

no instagram

© Achar o fio à meada. Design by FCD.