O Hipnotista | Lars Kepler

Wednesday, May 2, 2018


TítuloO Hipnotista
Autor: Lars Kepler
Editora: Porto Editora
Ano de publicação: 2010
Páginas: 560

Onde comprar: Inglês & Português

Mais uma opinião, desta vez de um policial! Já tinha saudades do género - o último policial que li foi o A Mulher Desaparecida, há meses atrás.
Demorei bastante tempo a lê-lo porque, por parvoíce, comecei a leitura na altura em que tinha os testes todos de seguida. Por isso, demorei umas três semanas até o terminar.

A História 


Neste livro seguimos duas histórias. Por um lado, Erik, um famoso hipnotista sueco, é chamado para auxiliar na resolução de um caso. Uma família aparece morta (alguns até esquartejados), e há um sobrevivente, o Josef. De forma a obter alguma informação que possa ajudar na investigação, Joona Linna, o detective que vamos seguir durante toda esta série, pede que Erik hipnotize Josef, que está em coma. Erik recusa, já que tinha prometido - tanto a si próprio, como ao público - que jamais voltaria a hipnotizar alguém. No entanto, acaba por ceder quando se chega à conclusão de que a sua ajuda poderia salvar a vida de um outro membro da família, a irmã mais velha de Josef.

Por outro lado, existe outro caso - o filho de Erik é raptado quando a família está toda em casa. Durante todo o livro, vamos tentar perceber o que se passou em ambos os casos, e se poderá existir alguma conexão entre estas duas vertentes da história.

Opinião


Este foi o primeiro livro que li da dupla Lars Kepler, e confesso que estou entusiasmada para continuar a série. Já tenho mais quatro livros, só me faltam dois para ter a colecção inteira!

O enredo, algo complexo, está bem pensado e, mais importante, bem executado. Achei todas as reviravoltas e revelações inteligentes, e aconteceram todas no momento certo para o desenrolar da acção. Logo no início, existe uma revelação que me deixou imediatamente viciada na história, e que me fazia querer ler compulsivamente - sem poder, porque tinha de estudar :(

Existem representações de machismo e bullying, que eu acho sempre que não são levados muito a sério, portanto gosto sempre quando surgem em livros - assim pode ser que abram os olhos a alguém que não os vê como um problema, quem sabe?

"Senhoras finas - diz ele, com desprezo. - Só estão satisfeitas com a picha enfiada, não é verdade?"

"Simone percebe que o homem não vai desistir até chamar a sua atenção. Como muitos outros homens, parece não compreender que as mulheres têm a sua própria vida, as suas ideias próprias e que não estão permanentemente dispostas a ouvi-los."

Gostei bastante dos detalhes técnicos que foram incorporados na história. Tanto detalhes médicos, como jurídicos - e até a descrição da hipnose - me pareceram bem fundamentados com pesquisa por parte dos autores. Isso é algo que eu aprecio, mostra esforço por parte do autor!

Apesar de o foco ser sempre a investigação, existem também momentos de humor, e até algumas cenas de sexo. É, portanto, uma leitura que tem conteúdo para todos os gostos.

"Todas as entradas se referem a Erik. Há diferentes teorias irónicas sobre Benjamin ter sido hipnotizado e transformado num idiota, prova de que Erik hipnotizou todo o povo sueco. A mensagem de alguém que exige uma indemnização por Erik lhe ter hipnotizado o pénis."

Houve apenas dois aspectos do livro que não me agradaram muito. Primeiro, a personagem de Simone, mulher de Erik, enerva-me. Em vez de comunicar com os outros personagens, inventa histórias e teorias na sua cabeça, e assume que é aquela a realidade.
A segunda coisa menos boa, é o facto de haver muita informação desnecessária, que só contribui para o tamanho enorme do livro. Penso que conseguiriam o mesmo efeito com menos cerca de 100 páginas. É apenas por estas duas coisas que não vou dar 5 estrelas ao livro!

Concluindo, apesar de achar um pouco longa demais, aconselho esta leitura a amantes de policiais e thrillers. É um livro cheio de crime, traição, mistério e morbidez.

★★★★☆ 4/5 estrelas

6 comments

  1. Li este mês este livro, gostei bastante, mas já tinha lido "O Homem da Areia" que , quanto a mim, é o melhor (acho que é o último ou penúltimo livro da saga).
    Daí ter ficado um bocado confusa com as duas histórias e o protagonismo dado ao Erik, já que tinha a ideia que o protagonista desta história seria o Joona.
    Quanto à Simone e os seus "filmes", julgo que retrata o que acontece na realidade em muitas relações: ela foi traída, logo está de pé atrás, logo faz filmes, até porque o marido não lhe conta o que acontece na realidade nem tenta desmentir os factos, anda ali adormecido sob o efeito da medicação que toma.
    Gosto muito de Lars kepler, tenho mais um na estante para ler, sem duvida que se tornou uma dupla de autores favorita!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Que coincidência! :D Eu tenho o Homem da Areia mas vou tentar ler por ordem, portanto ainda vai demorar um pouco até lá chegar :P
      Também achei que o Erik tinha demasiado ênfase, e o detective nem por isso. Quase não se descobre nada sobre o passado dele :/
      Concordo, o Erik também não ajuda. No vídeo de opinião que sairá brevemente eu falei nisso - ninguém comunica no raio do livro, é tão frustrante!! E quando ele diz que se mudou para a casa da Daniella? Eu ia atirando o livro à parede hahaha Acho que até escrevi "que parvoíce" ou algo parecido no livro, fiquei estupefacta a ler aquele diálogo...
      Também fiquei fã, agora é só pegar nos outros livros - mas tem de ser nas férias, senão demoro eternidades para os ler :(
      Beijinhos ♡

      Delete
  2. Não costumo ler muitos policiais, mas este parece interessante :)

    ReplyDelete
    Replies
    1. É mesmo! O enredo é intrigante e deixa o leitor viciado :P
      Beijinhos ♡

      Delete
  3. Um dos livros que mais gostei de ler.
    Beijinhos,
    https://chicana.blogs.sapo.pt/

    ReplyDelete

no instagram

© Achar o fio à meada. Design by FCD.